quarta-feira, 30 de julho de 2008

Aniversariante do Dia

Quem está assoprando as velinhas hoje é o piloto Mário Diego Broering, uma das gratas revelações da temporada 2008 da Stock Car Opala, competindo o bólido número 1 da foto abaixo.
O Diego é filho do ex-piloto Rolnei Broering, que corria com o Opala 33, e tem no sangue o Automobilismo e a "Poeira na Veia", além de ser um cara "show de roda".
Parabéns e muitos anos de vida!!!


A partir da próxima etapa do Catarinense, o Opala do Diego terá uma cara um pouco diferente. Tá ficando muito legal o carro...

Foto: Ingo Hofmann

Desafio Poeira na Veia

Depois da 'colher de chá' do último desafio, vou deixar essa mais fácil ainda. A foto já tem bem mais que 20 anos, e é da antiga pista de Camboriú.
Vamos às dicas:
1) Foi Campeão Catarinense da Força Livre no final dos anos 80;
2) Além de Campeão, foi 2 vezes Vice e 1 vez Terceiro na Força Livre;
3) Ficou muito tempo parado, mas voltou a correr há uns 3 ou 4 anos atrás;
4) Apesar de muita experiência, é bastante jovem ainda;
5) Continua acelerando um '6 canecos' no Catarinense em 2008;
6) Tem pouco mais de 20 pontos na classificação geral de sua categoria neste ano;
7) O número que utiliza atualmente é o mesmo com o qual foi campeão e é uma derivação do que usou na época das fotos abaixo.

PS: Fiz um 'rabisco' na primeira imagem, em cima do nome pra não entregar de bandeja...
Mãos à obra!!!

Fotos: Acervo pessoal Roberto Pruner

terça-feira, 29 de julho de 2008

"Kit de Beleza Anos 80"

A imagem abaixo não seria nada além de uma entrevista do Sidney Andrade, o "Ney", concedida à uma equipe da RBS TV após vencer uma etapa em São Bento do Sul, se não fosse por um detalhe: vejam só o "kit de beleza" no bolso da repórter. Eita anos 80!!!!
E a pergunta que não quer calar e o bairro quer saber: Quem será a charmosa "garota do pentinho"?

Foto: Acervo pessoal Sidney Andrade

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Aniversariante do Dia

No dia 28 de Julho de 1952 nascia um dos maiores "botas" do Automobilismo Catarinense: Clóvis Roberto Concatto, o popular "Chulé".
Este gaúcho de nascimento e catarinense de coração foi contaminado pelo "vírus" da velocidade através do pai, o 'seu' Arvito Concatto, que era piloto das famosas "carreteras".
Além de ter sido um excelente piloto, "Chulé" foi um dos 'heróis' da minha infância e é uma das pessoas que eu meu orgulho em poder chamar de amigo.
Parabéns ao Campeão Catarinense da Força Livre em 1990, e muitos anos de vida pela frente!!!
Foto de 1987, quando "Chulé" venceu a Força Livre em Santa Cecília.
Com este Opala Clóvis Concatto foi campeão da Força Livre em 1990.

Fotos: Acervo pessoal Clóvis Concatto

Era um Voyage...

Esse aí era o Voyage do "Ney" (Sidney Andrade). Na foto abaixo, o "Voyajão" já mostrava as caras em Lages e dizia ao seu dono que era 'arisco'...
... e depois o carro já em 'frangalhos' no pátio da oficina, depois de alguns capotes em Mafra.


Como a estrutura foi afetada, o Ney não pode recuperar este carro e montou um Gol para continuar disputando o Catarinense de Terra.

Fotos: Acervo pessoal Sidney Andrade

sexta-feira, 25 de julho de 2008

"II Indy Terra" - Joaçaba - 1987

Comentei outro dia sobre as provas de longa duração que eram realizadas antigamente.
Na edição do "II Indy Terra", realizado no dia 13 de Dezembro de 1987, o vencedor da categoria 1.600cc ganhou a prova após 78 voltas, e Roberto Pruner venceu após 60 voltas.
Para efeitos de comparação, a Marcas "N" na última prova realizada em Maio na pista de Joaçaba foi vencida por Diego Ramos, e a bateria durou pouco mais de 32 minutos e foram dadas 23 voltas. Já na Stock Car Opala o vencedor foi Márcio Reuter, que deu 19 voltas em pouco mais de 21 minutos de bateria.
O pior de tudo é ver muita gente saindo dos carros 'quase morrendo' de cansaço após 20 ou 30 minutos de bateria. Imaginem se andassem numa prova como a "Indy Terra"...
Grid da "Força Livre", com William Sabatke (Opala 12 - Orwisa) na pole, com Roberto "Beto" Pruner (Opala 7 - Riofrás) dividindo a primeira fila.
Contorno da "curva do lago", no Autódromo Cavalo de Aço. José Bormemann (Gol 41 - Expresso Sul Brasil) puxa a fila, seguido de Gastão Weigert (Chevette 70 - Metalúrgica Gans) e Edison Graczyk (Passat 43 - Expresso Sul Brasil). Categorias Marcas e 1.600cc largaram juntas, com 17 carros no total.
O carro do vencedor da 1.600cc, Edison Graczyk (Passat 43 - Expresso Sul Brasil).
O campeão da "Força Livre", Roberto "Beto" Pruner (Opala 7 - Riofrás).
O bi-campeão da Marcas no Indy Terra, o joaçabense José Carlos "Juca" Fuganti (Gol 17 - Fuganti).
Edison Graczyk, vencedor da 1.600cc e piloto do Passat 43, patrocinado pela Expresso Sul Brasil.

Fotos: Acervo pessoal Francis Henrique (Jornal Auto Pista - 1988)

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Clóvis Müller

Comentei ontem sobre o João Carlos Salomão, um joinvillense bom de braço.
Hoje apresento outro que andava muito. Trata-se de Clóvis Müller, que corria com esse "Zé do Caixão" número 88, com o patrocínio da Scala Têxtil.
O Clóvis era companheiro de equipe do Paulo Roberto Santana, que corria com o Fusca azul número 71 da Jobor. Ambos tinham seus carros preparados pelo Laércio Fröhlich, que é um grande nome da preparação em Santa Catarina, tendo passado por suas mãos grandes nomes do nosso Automobilismo.
Com esse VW o Clóvis competiu durante alguns anos em Santa Catarina. Fez algumas poles e liderou várias provas, deixando pra trás Fusca, Passat, Voyage, Brasília e Gol, e foi o oitavo colocado no final do campeonato de 1987, na categoria 1.600cc.

Foto: Jornal Auto Pista - 1988

quarta-feira, 23 de julho de 2008

João Carlos Salomão

O piloto de Joinville João Carlos Salomão foi uma das grandes feras do final dos anos 80 e início dos anos 90. Começou com uma "saboneteira", depois foi para o Passat e mais tarde trocou de carro, indo pilotar um Gol.
Salomão era um piloto extremamente combativo, arrojado e habilidoso. Era um prazer ver a ‘tocada’ dele.
No currículo de Salomão há dois títulos máximos na categoria Marcas Catarinense, mas também outros resultados importantes:
- 3º colocado da Marcas em 1989
- Vice Campeão Catarinense de Marcas em 1990 (Campeão Mário Seibt)
- Vice Campeão Catarinense de Marcas em 1991 (Campeão Luís Carlos Frantz)
- Campeão Catarinense de Marcas em 1992
- Vice Campeão Catarinense de Marcas em 1993 (Campeão Alessandro Weiss)
- 3º colocado da Marcas A (*) em 1994
- Campeão Catarinense de Marcas A (*) em 1995

(*) A partir de 1994 a Marcas foi dividida em "A" (Graduados) e "N" (Novatos).
João Carlos Salomão (Passat 12 - Antarctica) e Arthur Lançoni (Gol 54 - Carretão).
Grid de largada da Marcas em Santa Cecília, com João Carlos Salomão (Gol 12 - Antarctica) na pole, seguido por João Finardi (Gol 8 - Antarctica), Alessandro Weiss (Gol 37 - Weiss) e Luís Carlos Frantz (Gol 14 - Kaiser).
João Carlos Salomão (Gol 12 - Antarctica) 'puxa a fila' em São Bento do Sul, seguido por Luís Carlos Frantz (Gol 14 - Kaiser). Essa disputa surou muito tempo e foi chamada de "a guerra das cervejas".
Salomão no "Vale dos Cobras", em Camboriú.
Com patrocínio novo (Perfiltech), mas o velho número 12, no "Cavalo de Aço", em Joaçaba.
A equipe Campeã de 1995: Arildo Frankenberger (preparador), João Carlos Salomão, Marcelo Bayer e Hariberto Schroeder (mecânicos).


Fotos: Acervo pessoal Sidney Andrade / Revista Pista Livre

terça-feira, 22 de julho de 2008

Catarinense de Terra na TV

Muita gente tem mandado e-mail querendo saber o link para assistir o programa "Velocidade" (que passa aos sábados na TVBV, às 12:00 hs) no YouTube.
Segue abaixo os links do programa que exibiu as baterias da Marcas N, Marcas B, Marcas A, Stock Car Opala e Stock Car Omega no último dia 12 de Julho.
Parte 1
http://www.youtube.com/watch?v=TCcMF3uOEsE
Parte 2
http://www.youtube.com/watch?v=ls-HTRobIlg&feature=related
Parte 3
http://www.youtube.com/watch?v=twFClels2eQ
Os vídeos também estão disponíveis no site da Fauesc e no CronoSpeed

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Resposta Desafio Poeira na Veia - Quem é o "barbudo"?

Com as dicas que eu dei, essa ficou fácil...
O "barbudo" da foto é Tancredo Rocha Faria, que atualmente compete na Stock Car Omega em Santa Catarina com o carro número 111, na foto abaixo.
Parabéns aos que acertaram e obrigado a todos que participaram de mais uma brincadeira, que é o "Desafio Poeira na Veia". 

Fotos: Jornal Auto Pista - 1988 (Acervo pessoal Francis H. Trennepohl) / Ingo Hofmann

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Um dos pioneiros na inovação

O paranaense Carlos Rangel foi um dos primeiros pilotos a testar uma novidade lá pela metade dos anos 80: colocar um motor de A.P. num Fusca.
A foto abaixo é da primeira experiência realizada com a nova motorização no Fusquinha 9 do “Neneco”.
É possível ver uma série de entradas de ar no capô dianteiro e uma saliência no capô traseiro, devido ao tamanho do novo ‘propulsor’ ser bem maior que o motor a ar original.
É uma pena que o tempo e a tecnologia extinguiu os belos ‘Fusquinhas’ das pistas catarinenses...

Foto: Jornal Auto Pista - 1988 (Acervo pessoal Francis H. Trennepohl)

3 gerações nas pistas

A família "da Costa" já está na terceira geração de pilotos no Campeonato Catarinense. Até aonde eu sei, é o único caso de 3 gerações que foram para as pistas, em épocas diferentes, é claro.
O “pioneiro” da família foi Djalma da Costa, na Força Livre. Mais tarde veio seu filho, Marcelo da Costa, e recentemente o neto do “seu” Djalma, o Marcelo da Costa Júnior, o “Marcelinho”.
Opala 51 do Djalma da Costa.
Omega 51 do Marcelo do Costa.
Gol 53 do Marcelinho da Costa, que além do 'Golzinho'...
... também já se aventurou com o Opala

Fotos: Acervo pessoal Francis H. Trennepohl (Jornal Auto Pista - 1988) / Ingo Hofmann

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Desafio Poeira na Veia - Quem é o "barbudo"?

Essa não vai ser fácil... A foto é de 1987, mas vamos dar umas dicas pra ajudar:
1) Ele corria na época desta foto de Chevette, no Paranaense de Terra;
2) Ficou muito tempo parado, mas voltou e foi campeão Paranaense em outra categoria;
3) Nesta mesma categoria em que foi campeão no PR, atualmente compete em Santa Catarina;
4) Em 2008 está enfrentando uma série de problemas e marcou apenas 2 pontos, ocupando atualmente a 16ª posição em sua categoria;
5) Está sem barba, com menos cabelo e uns "quilinhos" a mais hoje em dia...


PS: Fiz um 'rabisco' na imagem, em cima do nome pra não entregar de bandeja...

Foto: Jornal Auto Pista - 1988 (Acervo pessoal Francis H. Trennepohl)

Resposta Desafio Poeira na Veia

O piloto do carro número 100 é o Osni Sens, de Rio do Sul.
O Osni competiu mais tarde, nos anos 90, com um Gol, também número 100 (e com o 'ésse' depois do número) na categoria Marcas.
Atualmente faz parte da diretoria do Automóvel Clube de Lontras, e mostra lá tanta competência quanto tinha ao volante, e prova disso é o sucesso das etapas realizadas em Lontras, que não devem nada a nenhuma das maiores categorias do Automobilismo Nacional.
Foto: Acervo pessoal Roberto Pruner

terça-feira, 15 de julho de 2008

"Ney" x "Barata"

Disputa de posição entre Sidney "Ney" Andrade (Voyage 4 - Atlantic) x Edson "Barata" Gohr (Fusca 20) na curva 1 do Autódromo Rio Represo, em São Bento do Sul. Isso foi em 1987...

Foto: Acervo pessoal Sidney Andrade

domingo, 13 de julho de 2008

Mais do Voyage # 4 do Ney...

Um pouco mais das imagens enviadas pelo Sidney Andrade.
Sidney "Ney" Andrade (Voyage 4 – Molas Rocha) e Rodolfo “Rudi” Erhardt (Gol 11 – Faquivalli) em Lages, em 1988. Essa disputa foi na Marcas, e o “Rudi” venceu essa etapa.
"Ney" Andrade (Voyage – Mecânica Ney) foi traído pelo miolo da roda dianteira direita, na saída do “bico de pato” (quanta diferença pros dias de hoje essa curva), em Joaçaba. Isso foi em 1987...

Fotos: Acervo pessoal Sidney Andrade

Resposta Desafio Poeira na Veia - Opala 37 da Weiss

O Opala da foto abaixo era pilotado por Oscar Chanoski, e a pista é em Camboriú.
A julgar pelo e-mail, acredito que foi o Luizinho (VW 47) que tenha acertado. Se foi, por favor se manifesta Luizinho...

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Só máquinas "fora de linha"

O "Ney" (Sidney Andrade) mandou uma ‘penca’ de ótimas fotos. Aos poucos vamos publicando-as. Bons tempos que não voltam mais...
Paulo Roberto Santana (Fusca 71 – Jobor), Osmar Cazella (Passat 87 – Rodossul) e Sidney Andrade (Voyage 4 – Molas Rocha) na curva 1, em São Bento do Sul, em 1987.
Lauri Farias (Fiat 147 848 – Equitadeu), Sidney Andrade (Voyage 4 – Molas Rocha) e Paulo Roberto Santa (Fusca 71 – Jobor) também na curva 1, em São Bento do Sul, em 1987.
Osmar Cazella (Passat 87 – Rodossul) e Sidney Andrade (Voyage 4 – Molas Rocha) disputando posição na reta de Mafra, em 1988.
Sidney Andrade (Gol 4 – Mecânica Ney), Ladmir "Gringo" Fronza (Chevette 18 – Fronza), Gilmar Gregório (Chevette 78 – Volks Portão) e Celso Ternes Leal (Gol 47 – Porcelanas Germer) no miolo do “Rio Represo”, em São Bento do Sul, em 1989.

Fotos: Acervo pessoal Sidney Andrade

quinta-feira, 10 de julho de 2008

"Seguuuuuuuuura Beto"

Roberto "Beto" Pruner (Opala 5 – Skol) utilizou toda a pista e mais um pouco na disputa com Armin Kliewer (Opala 11). 


Fotos: Acervo pessoal Roberto Pruner

Provas de longa duração

Eram bastante comuns na década de 1980 os Automóveis Clubes organizarem corridas de longa duração (“100 Milhas”, “2 Horas”, “200 Milhas”, “100 Quilômetros”, etc.) e até mesmo provas noturnas.
Geralmente estas provas eram realizadas em épocas que não tinham nenhuma etapa dos campeonatos estaduais, como dezembro e janeiro, e mesmo sendo período de férias, praia, viagens, etc., essas corridas tinham bons grids, e o motivo principal disso era a premiação, pois eram distribuídos valore$ bem intere$$ante$.
Quem eu consegui identificar da esquerda para a direita: Pierre Bes (preparador), Roberto "Beto" Pruner e Luiz Carlos "Caco" Pruner (camisa verde).
Largada do 2º Indy Terra em Joaçaba, em 1987, com William Sabatke (Opala 12 - Orwisa) na frente, seguido por Roberto "Beto" Pruner (Opala 7 - Riofrás), Vitalino / Vilmar Gargioni (Opala 86 - JK Pneus) e Júlio Haake (Opala 91 - Senter).

Pega entre "Beto" Pruner (Opala 7 - Riofrás) e Júlio Haake (Opala 91 - Senter) em dois atos.
"Beto" Pruner (Opala 7 - Riofrás) subindo a "porta do céu" em Joaçaba.
Largada das "2oo Milhas do Oeste, em São Carlos, em 1990, com Mário Lüersen Filho (Gol 29 - Nevada) na frente.
3 Opalas participaram desta prova: Henrique João Damo, o "Grilo" de Frederico Westphalen - RS (Opala 57 - Veicol), Clóvis "Chulé" Concatto (Opala 17 - Frigorífico Chapecó), que convidou Edson Dalla Valle para dividir a condução do 'bólido', e Jandir Pressoto (Opala 33 - Pressoto).
O pole das "200 Milhas do Oeste" foi Mário Lüersen Filho, o "Marinho Nevada", mas a vitória ficou com outro Mário, o Seibt.

Fotos: Acervo pessoal Roberto Pruner / Acervo pessoal Francis H. Trennepohl