terça-feira, 30 de setembro de 2008

Próxima Etapa do Catarinense

Como todos já perceberam, o blog anda meio desatualizado. O motivo disso é a correria dos últimos dias. Fora os compromissos já habituais, estou escrevendo a monografia da Pós Graduação, que toma um tempo muito grande.
Além disso ando meio "premiado" com gripes, resfriados e uma baita intoxicação alimentar.
Espero que as coisas se acalmem e voltem ao normal nos próximos dias.
Abaixo o cartaz da próxima etapa do Catarinense, que será realizada em Joinville, nos dias 11 e 12 de Outubro.
Quem puder ir, com certeza verá mais um grande espetáculo!


quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Resposta Desafio Poeira na Veia

Essa meu grande amigo Luís Carlos de Lima levou!
O Leomar conseguiu controlar o carro e segurou no braço a máquina pra evitar o acidente.
Isso aí aconteceu no final da reta de largada do Autódromo de Mafra. Lá os carros chegam no ponto de freada "lambendo" os 190 km por hora. Creio que seja o ponto de maior velocidade de todos os autódromos de Santa Catarina.
Eu já vi cada 'capote' nessa curva que me dá arrepios só de lembrar...
Parabéns ao Luís que acertou o desafio e parabéns ao Leomar Fendrich Júnior pela habilidade.
O momento da quebra da ponta de eixo... 
... e a destreza do Leomar em controlar o carro e evitar um acidente mais sério

Fotos: Acervo pessoal Leomar Fendrich Júnior

Que turma!!! (2)

Essas figuras abaixo foram fotografadas em 1985, no "Rio Represo", em São Bento do Sul.
Me ajudem novamente a identificar a "tropa"...
Na "1ª fila": Orlando Souza (macacão da Kohlbach), Nedir "Faísca" Nardini (macacão branco e azul), e Roberto "Touro" Granemann (de bigode, com macacão branco).
Na "2ª fila": Jair Gans (macacão azul), Gunnar Vollmer (macacão vermelho) e Paulo César Ely (macacão verde).
O resto é com vocês!!!

Foto: Acervo pessoal Paulo Ely

sábado, 20 de setembro de 2008

Que turma!!!

As figuras da foto abaixo foram fotografadas em Mafra, durante etapa do Catarinense em 1995.
Me ajudem a identificar a "tropa"...
Em pé: Sílvio Spézia, Altair Rufatto, João Finardi, Alceu Feldmann Filho, Ivonir Rotta, Max Mohr, Alexandre Finardi, Sidney Andrade, Alexandre Rigon, Jorge Camargo, Maurício Reuter, Air Carrara, Paulo Pozza, Paulão Cardoso, George Finardi, Enio Andreani, Otto Passold Neto, Luciano "Sussa"Schaefer, Wilson Andrade, José Feliciano e Ivan Sacht.
Agachados: Rolnei Broering, Bacelar Quintino Soares, César "Pancho" Gritti, Reinaldo Albuquerque (narrador), Valdoir "Badú" Duarte, Helmuth Schroeder, Leomar Fendrich Júnior, Lauri Pavan, Antônio Negrello, Edson Silva, Clóvis "Koy" Bechtold e João Carlos Salomão.

Foto: Acervo pessoal Leomar Fendrich Júnior

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Mais um que vai voltar

Quem está louco pra voltar a acelerar é Luiz Carlos Porfírio. O piloto já está montando um Opala e em 2009 deve estrear na abertura do Catarinense.
O Porfírio é da "velha guarda" do Automobilismo Catarinense, 'opaleiro' das antigas e gente boníssima.
Ele só não decidiu ainda se volta com o 81 ou com o 61, os dois números que ele utilizou na carreira.
Ao que tudo indica, ano que vem a Stock Car "Opala" terá grids superiores a 18 carros. O mesmo deve acontecer na Stock Car "Omega", pois alguns pilotos da Marcas já estão sondando equipes da Omega e outros "aposentados" estão querendo voltar.
Viva os "6 canecos"!!!
Luiz Carlos Porfírio (Opala 81) disputando posição com Antônio Negrello (Opala 53), em São Bento do Sul.

Foto: Acervo pessoal Luiz Carlos Porfírio

Será que é?

Estive olhando essa foto abaixo e o cara observando o Fusca em pé na lateral traseira esquerda (de calça jeans e jaqueta marrom) me pareceu ser o "Édi" (Edson da Silva), ex-piloto e preparador de Joinville. Será que é ele?
O Fusca é do Leomar "Zé" Fendrich Júnior, de São Bento do Sul. Isso foi logo depois que voltou da Inglaterra, onde corria de Fórmula. Essa história conto outra hora...

Foto: Acervo pessoal Leomar Fendrich Júnior

Os grids multimarcas

Já escrevi sobre isso, mas volto a 'bater na mesma tecla' porque não me entra na cabeça uma categoria chamada "Marcas" ter só Gol andando, e as opções se resumirem a: Gol "Bola", Gol Geração 3 e Gol Geração 4.
Cadê os amantes da GM, da Ford, da Fiat, da Peugeot, etc., etc.?!?!
Será que ninguém vai colocar na pista um Celta, um Palio, um Fiesta, um 207 ou qualquer outra coisa que não seja Gol!?
Desse jeito, é melhor trocar o nome da categoria e deixar "Fórmula Gol" de uma vez...
Vendo essas fotos abaixo dá uma saudade sem tamanho, porque existia a 1.600cc e a Marcas. A 1.600cc tinha uma preparação bem mais forte, os carros eram muito rápidos, e na Marcas era um pouco mais restringido, mas andavam muito também.
Além da variedade de "Marcas" na pista (VW, GM, Fiat, Ford), a variedade de "modelos" impressionava: Fusca, Passat, Voyage, Gol, Chevette, Brasília, Corcel, Escort, Uno, 147, Oggi, "saboneteira", TL, SP2...
147 x Voyage x Fusca em São Bento do Sul.
Largada da 1.600cc em Santa Cecília: Chevette x Voyage x Passat x Fusca x Gol x 147.

Largada da 1.600cc em Lages: Voyage x Gol x Passat x Fusca x Brasília x 147.
Gol x Passat x Fusca em São Bento do Sul

Fotos: Acervo pessoal Leomar Fendrich Júnior / Acervo pessoal Luiz Carlos Porfírio / Acervo pessoal Sidney Andrade

Corrida noturna na terra

Comentei algumas vezes sobre as provas de longa duração que eram realizadas antigamente, bem como as provas noturnas na terra.
Algumas pessoas até mandaram e-mails questionando essa informação, argumentando que não existiam autódromos iluminados para estas provas, que seria uma loucura e tudo mais.
Pois bem, já que na semana que vem teremos a 1ª corrida noturna na história da Fórmula 1, vai uma foto do acervo do Leomar "Zé" Fendrich Júnior correndo "em casa" uma prova destas, em 1991.
Será que o "tio Bernie" está querendo copiar o Catarinense?!?!
A iluminação era adaptada nos carros ao estilo "Mil Milhas", com uma 'penca' de faróis pendurados.
Os carros participavam destas provas nos sábados à noite e no domingo, já sem os faróis, participavam normalmente das etapas do Catarinense.

Foto: Acervo pessoal Leomar Fendrich Júnior

Acidentes acontecem...

Quem frequenta ou já frequentou corridas na terra sabe que invariavelmente acidentes acontecem.
O grau de dificuldade em uma pista de terra é infinitamente superior ao encontrado em uma pista de asfalto, e o resultado disso não podia ser outro: acidentes e mais acidentes.
O mais interessante nessa hora é ver a segurança dos carros. Alguns ficam tão amassados que "caberiam dentro de uma caixa de sapatos", mas na maioria absoluta das vezes o piloto sai caminhando do carro, sem sequer precisar de ajuda para deixar o bólido.
Quem vibra com tanta emoção é o público, que passa das 15 mil pessoas em algumas etapas.
Abaixo algumas imagens que ilustram o que acontece com os carros e o cockpit dos mesmos, que permanecem intactos.

Daniel Tozzo.
Luiz Carlos Porfírio.

Luciano "Sussa" Schaefer.

Sílvio Cervi.
João Carlos Salomão.
Vinícius Batschauer / Edson Gil Marchetti.

Fotos: Ponto de Fuga / Acervo pessoal Leomar Fendrich Júnior / Acervo pessoal Luiz Carlos Porfírio

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Desafio Poeira na Veia

A pista é Mafra. O ano é 1993. O piloto é Leomar Fendrch Júnior, o "Zé".
Leomar sai tranquilamente dos boxes e...
... uma roda "foge" do carro, com tambor de freio e tudo mais. Quem é detalhista já até conseguiu ver a roda no cantinho da foto.
A pergunta que não quer calar e é o desafio desta semana: o que aconteceu na sequência? Leomar capotou? Bateu? Conseguiu controlar o carro? A foto da sequência eu publico com resposta, para provar o acontecido.
Vamos lá, mãos à obra!

Fotos: Acervo pessoal Leomar Fendrich Júnior

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Enquete nova no ar

Galera da “poeira”, não tenho palavras pra agradecer o apoio e o incentivo que todos estão me dando.
Quando postei há alguns dias atrás 2 imagens do Opala da Bonplac (Roberto Pruner) e comentei que gostaria de receber sugestões sobre qual era o carro mais famoso na opinião da “blogaiada”, choveu sugestões e acabei escolhendo as mais votadas.
As opções são:
Chevette 70 – Gans – Jair Gans

Fusca 1 – Trevo – Renato “Surdo” Oliveira
Fusca 33 – Waely – Paulo César Ely
Fusca 34 – Bonplac – Roberto "Touro" Granemann
Gol 11 – Faquivali – Rodolfo “Rudi” Erhardt
Gol 14 – Kaiser – Luís Carlos Frantz
Gol 37 – Weiss – Alessandro Weiss
Opala 2 – Riofrás – Clóvis “Koy” Bechtold
Opala 7 – Antarctica – Luiz Carlos Pruner
Opala 10 – Carpizza – Mário Wilson Soares
Opala 12 – Orwisa – William Sabatke
Opala 17 – Frigorífico Chapecó – Clóvis "Chulé" Concatto
Opala 34 – Bonplac - Roberto "Beto" Pruner
Opala 37 – Weiss – Oscar Chanoski
Opala 202 – Kohlbach – Sávio Azevedo
Passat 12 – Antarctica – João Carlos Salomão
Passat 20 – Juvena – Gunnar Vollmer
Passat 87 – Rodossul – Osmar Cazella

Agradeço muito pelas sugestões e convoco todos para votarem na enquete, aí no lado direito.

Fotos: Acervo pessoal Roberto Pruner / Acervo pessoal Leomar Fendrich Júnior / Acervo pessoal Paulo Ely / Acervo pessoal Sidney Andrade / Acervo pessoal Mauro Granemann / Acervo pessoal Tamara Weiss / Acervo pessoal Grazi Frehner / Acervo pessoal Edmílson Martini / Acervo pessoal Edson Luís de Paula / Revista Pista Livre

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Maiores Campeões do Automobilismo Catarinense - Márcio Reuter

O mais novo Bi Campeão Catarinense de Automobilismo é Márcio Reuter.
Márcio é filho de Niberto (já falecido) e irmão de Maurício, e traz a paixão pela velocidade no sangue.
Márcio iniciou sua carreira no Automobilismo em 2005, quando finalizou aquela temporada na 4ª colocação da Stock Car "B".
Em 2006 Márcio Reuter foi Campeão da Stock Car Opala, sendo no ano seguinte Vice e em 2008 recuperando o título de Campeão.
O que mais impressiona na 'tocada' de Márcio Reuter é sua maturidade e segurança, dificilmente expondo-se a situações que possam trazer prejuízo na pontuação (e por que não financeiro), sendo um de seus pontos fortes a constância e regularidade, além de ser bastante técnico.
Primeiro ano de Márcio Reuter na Stock Catarinense, em 2005...
... e alguns bons resultados apareceram logo de cara.
O "osso duro de roer" na vida de Márcio Reuter nas pistas sempre foi César Júnior Barp, excelente piloto que sempre esteve na briga pelo título...
... e às vezes a pista ficava pequena para tanta disputa, mas isso faz parte das corridas de turismo.
Márcio 'puxa a fila' em Joinville, sendo seguido por Gilberto Carlassara, Genil Constâncio Filho e César Júnior Barp.
Esse carro foi o Campeão de 2006...

... esse acima o Vice Campeão de 2007...

... e este o Campeão 2008.
Márcio Reuter no lugar mais alto do pódio, em Joaçaba, tendo a companhia de Décio Simão (2º colocado), Rafael Reif Oliveira (3º colocado), Gilmar Carlassara (4º colocado) e José Agostinelli (5º colocado).
Os "Irmãos Campeões" do Automobilismo Catarinense em 2008: Márcio e Maurício Reuter, campeões da Stock Car Opala e Stock Car Omega, respectivamente

Fotos: Ingo Hofmann / CronoSpeed / GP Racing